– Boato, notícia falsa e mentira mesmo.

 

 

 

 

 

 

A discussão sobre fake News é ampla.  Começa pela sugestão de substituir a expressão em inglês por notícia falsa ou boato.  A segunda é perigosa porque há um samba de João Roberto Kelly que diz “Todo boato tem um fundo de verdade”.  Portanto, há o perigo da informação ser enganosa mas, mesmo assim, guardar um resquício de veracidade.

Notícias falsas se espalham desde os tempos quando não havia Internet.  Portanto, culpar a rede pelas mentiras que circulam é reduzir a responsabilidade que está em quem inventa.

Nos tempos da ditadura civil-militar no Brasil, atribuía-se a uma conceituada rádio toda notícia que se queria dar chancela de autenticidade. Certa vez, circulou a informação: o corpo de um compositor perseguido pelo regime aparecera boiando

morto no rio Tietê.  A comoção foi geral, houve o desmentido mas muitos não acreditaram alegando que o pessoal a favor da repressão espalhava a contrainformação.  O compositor ainda vive.

As postagens no Facebook sobre Marielle Franco eram mentirosas e repetidas nas ruas com ênfase por quem jamais a conhecera sequer de nome.  A intenção era desmistificar o assassinato de uma mulher que, segundo esses detratores, estava ganhando maior relevo do que outras tantas mortes.  Quer dizer, como não se solucionam outros crimes, então, era preciso deixar esse assassinato de lado também.

Existem boatos, Fake News, notícias falsas e um gênero de mentira difícil de classificar.  Por exemplo, circularam fotos de militares junto com Getúlio Vargas atribuindo aos representantes das Forças Armadas avanços sociais como leis trabalhistas, PIS e Pasep e organização sindical.  Getúlio, embora ditador, era civil.  Outra postagem, lembrava que os militares morreram pobres.  Um deles teve o enterro cotizado por colegas porque a família não tinha dinheiro para pagar o sepultamento.  Militares têm pecúlio e as Forças Armadas financiam o enterro.  Portanto, impossível um militar precisar de vaquinha para ser sepultado.  E, pobre, quem tem soldo de general não é.  Se, acrescentado ao soldo de general, houver pensão de ex-presidente, menos pobre ainda.

Logo, há um tipo de postagem que não é falsa, mas enganosa como a propaganda que oferece o produto com uma qualidade que o anunciado não tem.   Essa postagem mudaria de figura se quem divulga assinasse e dissesse: “Acho que, na ditadura, os governantes eram mais honestos.”  Isso seria um problema de quem divulga e concordaria quem quisesse.  Porém, garantir com argumentos falsos uma ideia é, no mínimo, má fé.

Portanto, além de notícias falsas, fake news e boatos; há as “Lying News”, notícias mentirosas.  Não são falsas nem boatos.  Simplesmente, inventadas, criadas e sem base com a realidade.

Em tempos de Internet quando o combate às informações tendenciosas se torna muito difícil.  Segue mais uma denominação para complicar.

Projetos recentes