Crônicas

– Armas do passado

Na minha infância, andava-se armado.  Isto é, as crianças tinham cartucheiras com armas de espoleta imitando heróis dos filmes de

– Boato, notícia falsa e mentira mesmo.

            A discussão sobre fake News é ampla.  Começa pela sugestão de substituir a expressão

Quem ouve a dor é o ouvidor

  As ruas do Centro do Rio precisam de atenção.  Para quem sobe a Avenida Passos para chegar à Praça

– O índio solitário

A imprensa nacional e internacional divulga a notícia de um índio solitário que habita uma região remota no sul do

Candelária – Diretas Já!

No Brasil, corria o grito de “Diretas Já!” e a emenda do deputado Dante de Oliveira poderia tornar esse projeto

– Leitura roubada.

O inimigo da leitura era o gibi, história em quadrinhos, revistas com aventuras contadas quadro a quadro que inoculariam preguiça

videntes e vidências.

Pelas ruas há cartazes de videntes prometendo o amor de volta em poucos dias e previsões sobre o futuro.  Nunca

Não é o Funk

    Literatura,música e qualquer expressão artística focalizam o momento e a realidade.  Mesmo quando parece irreal, há um contexto

Da monarquia a Monarco

    Sobre o apelido, há duas versões: Hildemar Diniz gostou de um monarca, personagem de um gibi.  Como monarca